Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

29
Set21

Então e agora, faz-se o quê?


Pacotinhos de Noção

e-agora.jpg

A pandemia acabou.

Ainda não vi nenhuma notícia que o divulgue mas isto é um facto. A pandemia conforme já a vivemos, acabou.

Ainda há casos de Covid, vão continuar a haver mas agora é que se vai começar a viver o tantas vezes repetido "novo normal", e o novo normal mais não é do que nos habituarmo a viver numa normalidade parecida com a que dantes tínhamos, com a consciência de que existe um vírus que faz parte de tantos outros que nos afectam e que nem por isso nos escondemos em casa, ou andamos a medo na rua.

A prova não foi bravamente superada. Muitos morreram, muitos ficaram com mazelas, muitos viram negócios e vidas destruídas. Não sabemos quantos assassinatos foram cometidos por causa dos confinamentos, e não sabemos quantos suicídios, com ligação directa à pandemia, aconteceram. O saldo não poderá nunca ser positivo.

A situação que vivemos permitiu perceber que a nossa sociedade não é má. A nossa sociedade é uma autêntica merda.

No início, quando pensavam que isto ia durar uma, na pior das hipóteses, duas semanas, andaram a espalhar arco-íris, a bater palmas e a fazer serenatas das varandas de uns para os outros. Mas isto era fogo de palha. Ateou rápido, mas rápido se extinguiu.

Os confinamentos deram os seus frutos. Os trolls, os adolescentes e os velhos malucos que não tinham vida, e que passavam o dia "alapados" em frente a um computador, não aguentaram estar em casa, com familiares com quem não estavam habituados a coabitar sem ser apenas à noite. Precisaram de fugir de qualquer contacto social normal que poderiam ter, e de tão malucos procuraram teorias que lhes fizessem correr o sangue nas veias. Deram de caras com as teorias negacionistas e adoptaram para si estas anormalidades, que se podem equiparar ao "terra planismo".

Mas e agora que o COVID vai começar a ser muito menos falado, o que vai acontecer? O que poderão estes nossos amigos fazer para continuarem a ter papel tão activo e tão importante para a sociedade e que é o papel de mentecaptos?

Já vi um ou outro exemplo de que agora se vão começar a virar para outras pandemias que assolam a nossa sociedade. Aquela que me saltou à vista foi a da obesidade. Já há alguns destes elementos que vão preparando terreno e afirmando que a "obesidade envenena a sociedade".

Se virem um gordo num restaurante vão gritar e chamar-lhe pedófilo, como fizeram com Ferro Rodrigues?

Eu sei, isto parece descabido, mas o problema é real porque este pessoal é como os animais que provam sangue uma vez, e depois ficam quase que em estado selvagem, salivando pela próxima vez em que o possam voltar a provar.

Não costumo generalizar mas neste caso vejo-me obrigado a isso. Houve uma altura em que ainda justificava que tínhamos várias espécies de negacionistas, mas a verdade é que não. Não há um negacionista que seja bom da cabeça. Quem defenda o que os negacionistas defendem, quem se baseie em vídeos e artigos de pessoas que claramente têm distúrbios mentais, como o juiz que está a usar estes desgraçados para se promover com o intuito de um dia mais tarde se candidatar a um qualquer cargo político, demonstra claramente de que, e desculpem-me a expressão, "não jogam com o baralho todo".

Sugiro desde já, que caso estes indivíduos se juntem para estigmatizar alguém, ou grupos de pessoas, deviam de imediato ser alvos de processos criminais que deverão chegar às últimas consequências. Vivemos em liberdade mas também vivemos em sociedade, e se existe alguém que não o compreenda ou respeite, então tem que ser chamado à razão.

Para terminar gostaria de mais uma vez prestar a minha homenagem aos Almirante Gouveia e Melo.

Terminou hoje, com um sucesso avassalador, a sua missão na Task Foce.

Não levantou ondas, fez o seu trabalho e quando viu que estava feito, meteu-se no seu caminho, rumo ao pôr-do-sol, sem se sentir necessitado de colher louros, que lhe seriam todos mais que justos. Mas estes louros não ficarão muito tempo no chão. António Costa há-de lhes fazer uso.

O que não é de todo normal é existir alguém que faz um trabalho de excelência mas que chegando a altura certa de se retirar o faz sem qualquer tipo de problema.

Os meus parabéns pelo trabalho e os parabéns pela dignidade...

Amigos negacionistas, dignidade é uma coisa que dificilmente compreenderão. Tem que ver com moral, decência e respeito.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub