Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

17
Jun21

Noah


A.K.

downloadfile.png

EDIT: São raras as vezes em que estas situações acabam com um final feliz. Esta, felizmente, é uma dessas raras vezes.

O Noah foi encontrado por populares e embora nu, e com alguns arranhões, está bem. EDIT

Já todos sabem do que se trata.

Um menino de 2 anos está desaparecido há já mais de 24 horas...

Temo que já não seja encontrado com vida e até fico arrepiado com este pensamento.

Não me vou colocar na pele dos pais pelo mesmo motivo que também não me coloquei na pele dos pais da Valentina ou na pele da mãe do bebé que morreu por ter ficado esquecido dentro do carro.

Tenho filhos, e como não vou pelo que a maioria vai, não tardarão a existir pessoas que venham dizer que percebem a dor dos pais e que "Deus queira que não venhas a sentir o mesmo" ou "havia de te acontecer a ti".

Desde há 4 anos, altura em que fui pai pela primeira vez, que não há um dia em que não tema pela saúde e bem estar dos meus filhos. O meu "EU" ficou em suspenso e só deixará de estar no dia em que morrer, isto porque deixei de viver para mim e passei a viver para eles, e por mais que os anos passem é assim que vai ser. Para mim ser pai e mãe é isto. Para outros o conceito poderá ser diferente mas o conceito que outros tenham, a mim interessa-me pouco.

Aquilo que me custa a aceitar é que, caso a situação do Noah não tenha um desfecho feliz, mais uma vez quem deveria estar lá para proteger a criança, não estava.

Há dias vi num fórum de discussão, alguém argumentar que devia ser fechada determinada passagem de nível ferroviária, porque há atropelamentos e que é natural que as pessoas sejam distraídas e irresponsáveis, e como tal o Estado tem a obrigação de as proteger. Não há obrigação mais primordial do que a de protegermos os nossos filhos.

O argumento de que já não era a primeira vez que o Noah saia sozinho é ainda mais grave. Um bebé de 2 anos não deve sequer comer sozinho, pois existe o perigo de engasgar e não tem ainda os reflexos gástricos para se conseguir desenvencilhar desta situação.

Desejo com todas as minhas forças que o Noah esteja bem, mas desejo também que, mesmo o Noah estando bem, os pais sejam responsabilizados por tamanha negligência.

Serei criticado por apontar o dedo? Pouco me importa. A verdade é que os meus filhos tenho-os porque quis. Nenhum foi obra do acaso. Foram feitos, gerados e serão criados com amor, preocupação e segurança dentro daquilo que me é possível garantir para que estejam seguros. Deixar o acaso decidir a sorte de quem amo não acontecerá nunca. Não é sob protecção, é amor e é isto que me permite deitar todos os dias a cabeça no travesseiro com tranquilidade. Ontem foi um pouco menos tranquilo porque sabia que em Proença-a-Velha havia uma criança que, estando viva estava assustada de morte, estando morto, há-de ter sofrido com medo, decepção ou sem perceber o que se estava a passar.

 

 

 

10 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub