Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

28
Jun21

Acabou a tortura


Pacotinhos de Noção

4297548747_3a8b0d59db_b.jpg

Eis que finalmente chegou ao fim aquilo que tantos seguiram atentamente.

Devo admitir que não segui. Tentei ver o primeiro, que me mostrou aquilo que se confirmou. Que a prestação dos elementos foi paupérrima e que se arrastavam de cada vez que deveriam entrar em acção.

A selecção dos escolhidos foi uma desgraça e mais uma vez foi-nos mostrado que em relação aos estrangeiros somos uma vergonha. Eles são muito mais organizados e têm outro ritmo.

Mas finalmente acabou e acabou sem a glória pretendida. É verdade que contámos com uma vedeta, quase de outro mundo, mas nem isso foi a salvação.

Agora é ver o que a vedeta Cristina e a TVI, engendraram para as noites de Domingo.

Pensaram que estaria a falar de futebol?

Nada disso. Ao longo dos anos aprendi a não colocar demasiadas expectativas no futebol. Gosto do jogo, não do que se passa à volta, e com as expectativas baixas, de vez em quando até há surpresas.

Voltando ao All Together Nau.

Nau não é gralha. Naus eram navios de grande porte e este programa foi vendido como sendo algo de grandioso. E até foi. Foi um grandioso "flop" e a nau meteu água por tudo o que é lado.

Bem sei que muita gente apreciou. Pessoalmente, devo dizer que sempre me incomodou quando há acidentes e o pessoal desacelera para ver a desgraça. Aqui foi o mesmo.

Não minto ao dizer que não vi. Aquilo de que tive conhecimento foi o que fui vendo em promoções do programa, em divulgações nas redes sociais e em algum "zapping" que fui fazendo. Perco credibilidade criticando algo que não vi com tanta atenção? Pode até ser, mas se nos poucos meios com que me foram chegando informações, não houve nenhum em que houvesse vislumbre de qualidade ou talento, então alguma coisa está mesmo muito mal, pois normalmente nestes meios escolhem apenas os melhores momentos.

Para terem uma ideia... Hoje, sendo o último episódio, pensei ver o que se estava a passar. Um rapaz cantava "O Melhor de Mim" da Mariza. Se ele estava a dar o melhor dele então posso desde já avançar que o melhor dele só era um bocadinho melhor do que o do Jorge Jesus, quando viralizou ao tentar cantar a mesma música.

Uma inocente criança de 4 anos, que por acaso até é meu filho, ao ouvir o mesmo que ouvi, perguntou-me se aquilo era a brincar. Respondi-lhe que sim e mudei de de canal. Não lhe quis ter que explicar que para a Cristina Ferreira "talento" é sinónimo de "tádifícil" e que o "tádifícil" se referia ao facto de que Portugal não tem estrutura para tentar fazer um programa como o "All Together Now" nivelando então assim muito, mas mesmo muito por baixo.

Defendo que não tem estrutura em várias vertentes.

Não tem estrutura para os jurados, que nos outros países apostam em famosos e aqui apostam em senhoras que batem palmas no programa do Goucha.

Não têm estrutura de talentos, porque cá, nos vários "talent shows" que já existiram, conseguimos contar pelos dedos de uma mão aqueles artistas que vingaram, e mesmo assim um desses dedos é o João Pedro Pais.

Não tem estrutura de apresentação, porque aqui o nome do programa devia ser "Primeiro a Cristina, com o seu ego e os seus vestidos e só depois All Together Now".

Já começa a ser um hábito bater na Cristina Ferreira, mas incomoda bastante quando alguém se acha o melhor, afirma aos 4 ventos que é realmente a melhor, mas que depois, na realidade não o consegue mostrar. O Cristiano Ronaldo, por exemplo. Esse afirma que é o melhor e não tem pudor em o assumir. A diferença é que depois prova que realmente o é, ou que pelo menos está entre os melhores.

Já Cristina Ferreira não o tem conseguido mostrar, nem de perto nem de longe.

Uma pessoa que afirma que é a melhor mas que depois não o consegue demonstrar, então não é a melhor, é só uma gabarolas.

Tendo em consideração o que fui lendo das audiências, o programa foi fraquinho.

Cristina Ferreira tem coleccionado tiros no pé e mostra não ter qualidades como Directora de Entretenimento, na TVI. Mas como a bola é dela e se ela não jogar ninguém joga... Então é deixar rolar.

08
Mar21

Ano não é ano e mês não é mês!?


Pacotinhos de Noção

original.jpg

Hoje nas notícias da TVI , e depois no Observador Online, li: "Fevereiro foi o 5.º ano mais quente desde 1931 em Portugal Continental".

Senti-me estúpido porque achei que esta frase não fazia sentido. Pensei que o correcto sería: "O mês de Fevereiro deste ano foi o 5° mais quente, desde 1931, em Portugal Continental".

Mas devo estar confuso. Não acredito que a redacção do Observador deixasse passar este erro, não acredito que depois a TVI, quando fosse copiar a notícia para transmitir como sua, não desse pelo mesmo erro e não o emendasse. Tenho para mim que esta será uma frase com um qualquer parecer científico em que de repente Fevereiro passa a ano enquanto que os outros meses continuam apenas a ser meses. Afinal de contas Fevereiro é tão nojentinho que é até o único com 28 dias, só para ser diferente... A coisa piora quando para ser mais diferente ainda, e numa altura em que já nos habituámos aos 28 dias que tem, ele se lembra de depois de 4 anos ter 29... 4 anos e muda tudo. Até os leasing dos carros são de 5 em 5 e Fevereiro não aguenta mais que 3 seguidos com 28 dias?

Mas voltanto ao início da questão. Quando estudei comunicação uma das disciplinas à qual era dada importância era ao Português, para que soubessemos estruturar uma frase ou um discurso, para não cometermos erros de concordância e para que nunca, mas nunca, confundissemos um mês com um ano. Este tipo de erro poderá parecer de gravidade menor, e até é, se não trabalharmos num órgão de comunicação social que se expressa por meio de escrita e palavras. A gravidade aumenta quando percebemos que o crivo qualitativo de um jornal e canal televisivo é alargado o bastante para deixar passar estas gralhas.

Sei que não é uma confusão temporal e sim apenas uma frase mal elaborada, mas isto não deveria acontecer.

Sou saudosista por natureza e longe vão os tempos (que se diga, não os vivi) em que as notícias tinham pessoas como bons revisores de texto, e não correctores ortográficos automáticos, em que existiam jornalistas de dicção perfeita e com um léxico extenso o suficiente para fazer sentido aquilo que diziam, mesmo quando falhava o teleponto, que aliás para alguns pivôs nem existia, ou quando havia um directo cuja necessidade de dar a notícia "sem rede" era imprescindível.

Vivemos num país cuja a escolaridade tem vindo a aumentar, a taxa de insucesso escolar tem vindo a diminuir, o analfabetismo concreto tem vindo a desaparecer, mas a falta de compreensão e a dificuldade de expressão têm aumentado a galope, e se os meios, que se querem de informação, não se regularem por nada menos que a excelência, então não temos para onde nos virar... Mas não faz mal, afinal de contas ontem começou o "All together now".

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub