Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

29
Jun21

Falemos do assunto sem mariquices


Pacotinhos de Noção

images.jpg

Tenho aqui um grande problema e não sei bem como o resolver. Vou contar-vos e depois dirão de vossa justiça, ou poderão até ofender-me caso existam extremistas a ler o que escrevo.

Pelo menos que saiba, não tenho nenhum amigo ou familiar gay, homem ou mulher (é importante referir por causa da igualdade de géneros) e de vez em quando utilizo termos como "maricas", "apaneleirado" ou "paneleiragem".

Não utilizo estes termos referindo-me a dois homens que se beijam ou andam de mãos dadas na rua, por exemplo. Utilizo no contexto de algum homem que está a fazer um escândalo por um motivo que se possa considerar fútil, como por exemplo o de ter engordado 500 gramas. Ou quando se enfiam nas calças da mulher por serem mais apertadinhas e dizem ser suas só porque está na moda, ou até quando pintam as unhas porque querem ser "trendy" e chocar, ou quando se valem de um qualquer estatuto, que possam considerar superior, para destratar alguém que lhes possa estar a prestar um serviço.

O meu problema agrava-se ainda mais quando admito que não tenho qualquer tipo de simpatia para com movimentos gay ou  LGBT, numa altura em que até nas floristas vendem flores com uma pétala de cada cor, para apoiar o movimento.

Então e qual é o real problema?

Não sou homofóbico mas afirmando o que afirmei acima colocar-me-ão esse epíteto, quer eu queira ou não. Dirão que se não defendo o movimento então é porque o sou.

Tento explicar que não defendo porque para mim, que não tenho nada que ver com o assunto, a maneira ideal de travar esta luta não é fazendo paradas e festivais, onde invariavelmente há sempre alguém que comete excessos e extremismos, isto porque - e quem quiser que se espante - há pessoas nestes movimentos que só ali estão para o circo e em nada dignificam o que se defende.

E como é que eu sei que não sou homofóbico? Será porque sinto que seria capaz de namorar com um homem?

Nada disso. Até porque não seria. Não me deixo ir na moda de que "o que gosto são de pessoas", até porque na verdade gosto cada vez menos de pessoas... Mais um pouco e torno-me eremita.

Mas não, não seria capaz de me apaixonar por um homem porque nunca tive qualquer tipo de impulso ou curiosidade e até porque o ser-se homossexual não é seguir impulsos ou curiosidades. É-se e pronto.

Sei que não sou homofóbico por causa dos comentários que leio ou ouço, de quem é realmente homofóbico/ignorante e sinto que devia lavar os olhos e os ouvidos com WC Pato, tal a forma como estes me incomodam.

Sei que não sou homofóbico porque já várias vezes comecei a imaginar como me sentiria se um dos meus filhos me viesse dizer que gosta de alguém do mesmo sexo, e aquilo que sinto é que iria dizer: " Filho... Se é o que sentes, se amas essa pessoa e se essa pessoa te ama, então vai em frente e tens o meu apoio. Vais encontrar no caminho ignorantes que te vão criticar e incomodar, mas iriam sempre fazê-lo, fosse porque motivo fosse. Dito isto só te peço o seguinte... Que não uses calças apertadas, parecidas com as da tua irmã, porque isso para mim, é de uma paneleiragem sem precedentes".

 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub