Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

14
Out21

Tanto queixume


Pacotinhos de Noção

Polish_20211014_192928747.jpg

Cambada de amélias queixosas, é o que vocês todos são.

Gasolina a 2,00€ parece-me bem, aliás parece-me até mais do que bem. Estes preços são necessários para a nossa evolução e por isso acho até que deviam aumentar para 4 ou até 8,00€. Ao fazer isto são só vantagens.

Com gasolina a preços proibitivos só vão passar a andar na estrada doutores e engenheiros, tudo o que é a ralé vai de transportes. Desta forma, caso haja algum acidente, coisa que duvido muito tendo em consideração que quem andará na estrada serão só pessoas de educação acima da média, e como tal condutores conscienciosos, mas na eventualidade de acontecer, não haverá escaramuças porque são todos pessoas que não armam barraca por dá cá aquela palha. Chegarão a acordo calmamente e com termos, e podem até preencher a declaração amigável durante um maravilhoso almoço no Gambrinus, regado com um bom Dom Perignon. A conta deste almoço fica ao preço de meio depósito de combustível.

Com os impostos arrecadados, por cada litro de combustível, teremos um Estado rico e poderoso que investirá toda essa maquia na saúde e na educação. Há a probabilidade que seja na saúde e na educação deles próprios, mas acho bem também. Precisamos de políticos saudáveis e educados, para levar o barco a bom porto... Mas tem que ser um barco a remos porque ser for a gasolina não poderá ser um barco, acho até que não é possível porque o combustível precioso agora é um pouco elitista e só aceita servir de alimentação a uma lancha ou um iate.

Se há coisa de que não podem acusar este Governo é o de ser incongruente.

Aumenta o combustível mas também aumenta de novo o imposto sobre as bebidas açucaradas, sobre o tabaco, bebidas alcoólicas e aumenta também o esforço no bolso dos portugueses. Mas o que é um esforçozinho a mais quando no final está o bem comum a toda uma nação, e que é o de fechar buracos financeiros deixados por gestões deficientes em bancos no passado, no presente e no futuro, porque não sou bruxo mas aposto o dedo mindinho de que mais dia, menos dia rebenta outro escândalo bancário.

Mas comecei este texto por ofender quem me lê e gostaria muito de o continuar a fazer.

Mordem a mão de quem vos alimenta, ou pelo menos de quem vos alimenta moralmente, porque com o também mais que provável aumento dos bens essenciais ao consumo, alimentação é coisa que começará a escassear. Mas vejo tanta gente com um apetite tão grande em utilizar está tão bonita palavra que entrou na moda e que é a RESILIÊNCIA, que o nosso querido António Costa apenas vos quer dar obstáculos a superar para que possam assim ser mais resilientes. Ser resiliente numa pandemia, ficando fechado em teletrabalho ou recebendo o "lay off" é uma fantochada, no que a resiliência diz respeito. Ser resiliente é meterem-se em transportes, faça chuva ou faça sol, para enfrentarem, no mínimo 8 horitas de trabalho para receberem a vossa compensação no final do mês para depois, terem o tostão para pagar aquilo que nos mandam pagar. E sem resistência porque resistência na resiliência é algo para que os nossos governantes não têm paciência.

Resumindo: Pagam -> Trabalham -> Recebem -> Pagam.

Em linguagem técnica de economia, que não sei se entenderão, esta situação é apelidada de "Pescadinha de rabo na boca" em que nos comem a pescadinha e nós ficamos com um ligeiro sabor a rabo na boca. É lixado, mas é assim mesmo.

Para terminar. Tenho um jerricã de 20 litros cheiinho de gasolina. Troco por T3 na Albufeira ou no Alvor. Contactem-me.

2 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub