Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pacotinhos de Noção

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

A noção devia ser como o açúcar e vir em pacotinhos, para todos tomarmos um pouco...

Pacotinhos de Noção

09
Fev21

Vitimização "is the new black"


Pacotinhos de Noção

PhotoCollage_20210209_200649748.jpg

Sabem quem é Idris Elba?

Aquele actor preto que entrou no Thor, no Velocidade Furiosa e que dizem que pode vir a ser o futuro James Bond?

E por falar em James Bond, sabem quem foi o actor Hervé Villechaize?

Aquele anão que fazia de Nick Nack nos filmes do 007 e que todos dizem que é parecido com o Toy.

E o John Goodman, conhecem? Aquele actor gordo que fez de Fred Flinstone e que agora emagreceu e já não é tão gordo assim.

Além de serem actores, o que é que estas três pessoas têm em comum?

Têm características físicas que lhes permitem serem mais fáceis de identificar.

Poderia ter identificado o Idris Elba como alguém simpaticíssimo, Hervé Villechaize como uma pessoa instrospectiva e o John Goodman como alguém com um enorme sentido de humor... Poderia, mas estaria a mentir, pelo simples facto que não os conheço e não sei como realmente são. Usei características físicas não como forma de racismo, body shaming ou qualquer outra conotação que queiram dar, usei apenas por ser mais simples.

Nos dias de hoje todos são demasiado susceptíveis, todos se colocam no papel de vítimas porque a vitimização "is the new black"... E pronto, lá estou eu a utilizar o black abusivamente. Peço desculpa de antemão. Usei o black sem qualquer tipo de pudor porque para mim é apenas UMA PALAVRA. Eu seja ceguinho se estou a mentir... C'um caraças, agora posso ser acusado de estar a minimizar os invisuais, por ter usado o termo ceguinho e por não me ter colocado no lugar dos mesmos.

Uma pessoa já nem sabe o que pode dizer ou escrever, este amordaçar popular é um cancro que tenta matar a liberdade de expressão.

Calma ai, calma ai... Falei de cancro, e embora tenha familiares que pereceram do mesmo, não tenho legitimidade para poder falar na doença.

Não gozei com ninguém, não ridicularizei nenhuma situação de doença física ou mental, côr da pele, credo ou morfologia da pessoa, mas ainda assim há sempre a possibilidade de alguém se sentir ofendido com o que eu escrevi. E ainda há o bónus de se por acaso eu escrever "perespectivia", em vez de perspectiva, rápidamente vai aparecer alguém a aproveitar a falha para me dizer que "não devia gozar nem falar de determinados assuntos que desconheço e que podem ser traumatizantes para terceiros e ainda por cima sou analfabeto", incorrendo assim numa ofensa pessoal, que me permitirá a mim vitimizar-me.

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
Em destaque no SAPO Blogs
pub